Bioderma Brasil | Pele irritada com coceira e atópica

Allez au contenu Allez à la navigation

Pele irritada com coceira e atópica

Conheça melhor sua pele irritada, com coceira e atópica

Share

Uma pele extremamente ressecada, irritada com prurido é característica da pele atópica. Esta patologia cutânea surge na grande maioria dos casos nos primeiros meses de vida e é uma das principais causas de consulta ao dermatologista! Em 30 anos, o número de casos de dermatite atópica aumentou de 2 a 3 vezes nos países ocidentais*. Pouco conhecida e mal compreendida, a pele atópica afeta gravemente a vida das crianças e de seus pais. Recentes descobertas científicas possibilitaram progredir na compreensão da doença e modificar o esquema terapêutico desde o nascimento.  
                                                                                                                                                                                           

*Dermatite atopique : épidémiologie en France, définitions, histoire naturelle, association aux autres manifestations atopiques, scores de gravité, qualité de vie. E. Mahé. Ann. Dermatol. Venereol. 2005 ; 1323

Nesta seção
  1. Como reconhecer a pele atópica?
  2. Quais são as causas da atopia?
  3. A evolução da dermatite atópica
  4. Quem pode ser afetado?
Pele irritada com coceira e atópica

Como reconhecer a pele atópica?

A dermatite atópica é uma doença inflamatória da pele que se caracteriza por um ressecamento cutâneo extremo e placas vermelhas, muitas vezes cobertas por pequenas feridas que causam um intenso prurido (coceira). Benigna e não contagiosa, a dermatite atópica é uma patologia crónica caracterizada por períodos de eczema: estas fases agudas tem um impacto importante na qualidade de vida e são muitas vezes a causa de insônia. Com o tempo, a atopia pode desencadear outras alergias como asma, rinite ou conjuntivite alérgica.

Quais são as causas da atopia?

Extremamente seca, a pele torna-se mais permeável e deixa de desmpenhar a sua função barreira protetora contra as agressões externas e a alérgenos. Mas nem todas as peles atópicas evoluem para atopia. A atopia desenvolve-se perante um quadro genético favorável. Estudos realizados demontraram que se um dos pais tem pele atópica, a probabilidade da criança desenvolver atopia é de 30%**. Se ambos os pais apresentam a patologia, a probabilidade é de 70%**. Além do fator genético, a pele atópica também é caracterizada por alterações no sistema imunológico que reage de forma exacerbada, levando a inflamação. Permeável, a epiderme deixa penetrar os alérgenos (ácaros, pelos de animais, pólen) e certas bactérias (Staphylococcus aureus) que desencadeiam reações inflamatórias. Alergenos alimentares (leite de vaca, ovos) também podem estar desencadear períodos de crise (eczema). Outros fatores como produtos químicos aplicados sobre a pele, o calor ou a transpiração são fontes de irritação que podem resultar em eczema. Todavia, na grande maioria dos casos, não encontramos alergias alimentares na criança atópica.

**Dermatite atopique. SA Büchner. Forum Med Suisse N°19, mai 2001                                                                                                    

A evolução da dermatite atópica

  • Fase 1

A dermatite atópica surge geralmente entre o 2º e 3º mês de vida com o aparecimento de placas avermelhadas localizadas nas bochechas, nas mãos e mais tarde nas zonas de flexão dos cotovelos e joelhos. A patologia é caracterizada por períodos de crise, intercalados com períodos de remissão geralmente durante 1 a 2 anos. A pele é seca de forma permanente, o que gera muito prurido (coceira) e deixa o paciente sentindo-se desconfortável, podendo ocasionar insónia e impactar negativamente na qualidade de vida.

  • Fase 2

Após alguns anos, algumas crianças podem desenvolver uma outra manifestação de atopia como a rinite e/ou asma alérgicas. Assim, a fim de prevenir o seu aparecimente e agravamento, a comunidade científica preconisa hoje a implementação de medidas preventivas, logo desde o nacimento. Pretende-se prevenir o aparecimento da pele atópica logo no recém-nascido para que não apresente manifestações atópicas mesmo que tenha uma predisposição genética (pais atópicos, irmãos atópicos).

Quem pode ser afetado?

As pessoas afetadas são geneticamente predispostas à atopia, que também se pode manifestar em complicações respiratórias (asma, rinite alérgica), oftalmológicas (conjuntivite alérgica) e digestivas (alergia alimentar). Os bebês e as crianças são mais afetados, geralmente entre os 3 meses e os 5 anos, com um pico de 80% dos casos iniciando-se antes do primeiro ano. Contudo a pele atópica pode persistir até à idade adulta.